Ação de apoio e proteção à população em situação de rua de BH terá participação da Defensoria Pública mineira

Por Assessoria de Comunicação em 8 de junho de 2020

Iniciativa da Pastoral de Rua da Arquidiocese de BH e parceiros, o projeto “Canto da Rua Emergencial” será aberto esta semana na Serraria Souza Pinto, que foi adaptada para garantir alimentação, higiene e dignidade aos mais suscetíveis à pandemia.

A Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) é uma das instituições que integram a “rede do bem”, que está mobilizando o poder público e empresas para apoiar e oferecer atendimento em diversos serviços para pessoas em situação de rua em Belo Horizonte, diante do cenário da pandemia de Covid-19. Defensores públicos vão prestar orientações jurídicas ao público-alvo.

A ação, que recebeu o nome de “Canto da Rua Emergencial”, é uma realização da Vicariato Episcopal para Ação Social, Política e Ambiental da Arquidiocese de BH e do Vicariato Episcopal para Ação Social, Política e Ambiental. Além da Defensoria mineira, a iniciativa conta com o apoio do Governo do Estado de Minas Gerais, Prefeitura de Belo Horizonte, Pastoral Nacional do Povo da Rua, Movimento Nacional do Povo da Rua e do Instituto Unibanco.

Para a realização da iniciativa, a Serraria Souza Pinto, construção dos primeiros tempos de Belo Horizonte e integrante do conjunto arquitetônico da Praça da Estação, na Região Centro-Sul, foi reestruturada como local de referência para acolher a população em situação de rua, muito vulnerável à contaminação pelo novo coronavírus.

Com capacidade diária de atendimento para até 600 pessoas da população em situação de rua, serão ofertados vários serviços, entre os quais a cuidados com a saúde, higiene pessoal e alimentação, e ainda acesso a serviços socioassistenciais e educação em direitos, no esforço de dar maior atenção a esse público em tempos de enfrentamento à pandemia.

O espaço interno foi dividido em praças. Uma delas é a da Saúde, com profissionais avaliando se as pessoas em situação de rua apresentam sintomas de covid-19. Outra praça, destinada à alimentação, vai distribuir lanches e a praça de Dignidade vai oferecer sanitários e ambiente para banho e higienização. O amparo será ampliado, com profissionais destacados para assistir a questões sociais dos moradores, como emissão de documentos, denúncia sobre violência e explicações sobre direitos humanos.

Abertura

Na próxima sexta-feira, 12 de junho, de 8h às 14h, as portas da Serraria Souza Pinto estarão abertas para a imprensa conhecer e registrar a estrutura montada para a ação “Canto da Rua Emergencial”. A abertura oficial para a população em situação de rua será a partir de sábado, 13 de junho.

Vale ressaltar que a pré-abertura não se trata de um evento e não haverá protocolos oficiais, tendo em vista a proibição de aglomeração de pessoas. Todos terão que passar por uma barreira sanitária para higienizar as mãos e receber máscaras e luvas, sendo esse o protocolo mínimo adotado para o espaço.

O defensor público-geral de Minas Gerais, Gério Patrocínio Soares, ressalta a relevância da ação. “A pandemia aumenta consideravelmente a situação de vulnerabilidade das pessoas em situação de rua, aguçando e escancarando as desigualdades sociais, principalmente dos grupos mais excluídos. A iniciativa, além de promover ações de cuidados, proteção e informação, possibilita que alguns direitos sejam garantidos para esta faixa da população neste momento de extrema necessidade, como acesso à água, alimentação e higiene”.

Compartilhar com:
Tags:

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS