Defensoria Pública de Minas participa da ‘Carreata pela Vida das Mulheres’

Por Assessoria de Comunicação em 8 de março de 2022

Celebrando o Dia Internacional da Mulher, o evento foi promovido pela Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher na luta por uma sociedade em que meninas e mulheres sejam efetivamente livres

Para chamar atenção de todas e todos sobre os enormes desafios enfrentados pelas mulheres em Minas Gerais e celebrar o Dia Internacional da Mulher, a “Carreata pela Vida das Mulheres” reuniu dezenas de veículos na manhã desta terça-feira (8/3), percorrendo as ruas de Belo Horizonte.

Organizada pela Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher de Minas Gerais, a iniciativa reuniu sociedade civil e várias instituições, dentre elas a Defensoria Pública de Minas Gerais, representada no ato pela coordenadora da Defensoria Especializada na Defesa dos Direitos da Mulher em Situação de Violência (Nudem-BH), defensora pública Maria Cecília Pinto e Oliveira.

Partindo da sede I da DPMG, na Rua dos Guajajaras, no Barro Preto, a carreata passou pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Fórum Lafayette, Palácio de Justiça, Prefeitura e Praça da Liberdade, encerrando na Assembleia Legislativa – Fotos: Marcelo Sant’Anna/ DPMG

De acordo com o Manifesto pela Vida das Mulheres divulgado pela Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, “as mulheres mineiras são a principal força de trabalho no enfrentamento à Covid-19, tanto nas atividades diretas, quanto na Atenção Básica”. O manifesto pontua ainda que as mulheres são chefes de suas famílias e, que a cada ano, em Minas Gerais cerca de 148 mil sofrem violência.

A defensora pública Maria Cecília chama a atenção para o fato de as mulheres serem as principais atingidas e as mais vulneráveis, especialmente no contexto atual de saúde e conflito armado internacional.

“Basta ver o aumento da violência doméstica na pandemia e o episódio recente em que um áudio sexista se tornou público, revelando um assédio contra as mulheres que acontece diariamente em todos os lugares, seja no Brasil, na África, ou na Ucrânia”, observou a defensora.

Defensora pública e coordenadora do Nudem-BH, Maria Cecília (ao centro), durante o encerramento do ato na ALMG

A Defensoria Pública de Minas Gerais integra a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher.

Alessandra Amaral /Jornalista – DPMG

Compartilhar com:
Tags:

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS