Defensoria Pública de Minas celebra a família e a garantia de direitos em mais um Casamento Comunitário em Ipatinga 

Por Assessoria de Comunicação em 4 de agosto de 2022

Cerimônia repleta de emoção, realizada no Teatro Zélia Olguin, oficializou a união de 30 casais – Fotos: Marcelo Sant’Anna

A cidadania e o amor trocaram alianças. E ofereceram às assistidas e assistidos de Ipatinga, no Vale do Aço Mineiro, mais belo capítulo na história de união matrimonial e de garantia de direitos proporcionado pelo Casamento Comunitário da Defensoria Pública de Minas Gerais.  

O sonho de oficializar a união aconteceu na noite desta quarta-feira (3/8) no Teatro Zélia Olguin, bairro Cariru, quando 30 casais selaram com um sim o compromisso matrimonial. O evento foi organizado pela unidade da Defensoria Pública em Ipatinga, com o apoio da Coordenadoria de Projetos, Convênios e Parcerias da DPMG (CooProC).

Evento extrajudicial promovido pela Defensoria Pública e que já foi realizado em vários municípios mineiros, a cerimônia contou com a participação de membros da Instituição, autoridades locais e parceiros do município.

Compuseram o dispositivo: defensor público Alexandre Heliodoro, representando a Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos de Minas Gerais; vereador Zé Terez, 2º secretáro da Câmara Municipal; prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes; defensoras públicas Izabella Nogueira, Michelle Glaeser e Monica Marçal; diretora do Foro, Josselma Lages; representante do Cartório de Ipatinga, Antônio Carlos dos Santos; e o pastor Flávia Duarte

Em seu pronunciamento, representando a defensora pública-geral de Minas Gerais, Raquel da Costa Dias, a   coordenadora de Projetos, Convênios e Parcerias da DPMG, defensora pública Michelle Lopes Mascarenhas Glaeser,destacou a importância da iniciativa com um instrumento de inclusão social.

“A Defensoria Pública, como agente de transformação social, promove o Casamento Comunitário para legitimar a vida conjugal e, com isso, transformar a vida dessas pessoas que começam a construir uma família a partir dessa formalização da união e realizam, por meio dela, realmente um sonho: o de se casar, de ter uma cerimônia. E tudo isso é muito importante”, avaliou Michelle Glaeser.

Defensora pública Michelle Glaeser, representando a Defensoria Pública-Geral: “Transformar a vida das pessoas”

A emoção dos presentes foi ainda maior quando do anúncio da entrada das damas de honra – Sofia e Raquel – que de forma solene anunciaram a chegada do momento tão esperado pelos nubentes. Coube ao pastor evangélico Flávio da Silva Duarte, membro da Igreja Presbiteriana do Bom Retiro de Ipatinga, conduzir a cerimônia e se encarregar de abençoar as novas famílias que se formaram.

“É um momento ímpar. Casamento é uma instituição divina. Então ver tantas pessoas ainda acreditando no casamento, se dispondo a casar em contextos tão difíceis como são os atuais, e quando tantas pessoas pregam contra o casamento, é algo que nos enche de satisfação e nos motiva a querer participar e a incentivar”, disse o religioso em sua fala aos casais.

As damas de honra Sofia e Raquel

O ápice da festa foi a troca de alianças e o tradicional “pode beijar a noiva” dito pelo celebrante. Juntos há quase dois anos Leonardo Moreira e a companheira Érica Venâncio não conseguiram segurar as lágrimas. Emoção que se misturou com gratidão.

“Esse era um momento muito esperado por nós e, por falta de condições financeiras, imaginávamos que seria muito difícil realizarmos. Nos unirmos num espaço tão lindo nesta cerimônia coletiva. Algo que foi possível graças a essa iniciativa da Defensoria, a quem agradecemos muito por nos permitir viver essa mistura de emoções. Foi algo muito lindo”, descreveu Leonardo, que trabalhar como servente de obras.

Pastor Flávio Duarte conduziu a cerimônia: “Casamento é instituição divina”

Instrumento de inclusão e transformação social  

Marco de um grande momento de cidadania, que busca promover a regularização jurídica de casais ainda sem a união oficializada, o Casamento Comunitário é mais uma das ações extrajudiciais de alcance social da Defensoria mineira. Oferece às pessoas de baixa renda a oportunidade de legalizarem sua situação civil, com isenção de taxas e emolumentos e, assim, realizarem o sonho do grande dia de forma totalmente gratuita: a cerimônia nupcial, legitimando a vida conjugal com a inclusão social e o resgate da autoestima. 

O evento se destaca por proporcionar não só a proteção jurídica e garantia dos direitos civis da família e sucessões – em questões como pensão, auxílios, inventários, partilha e direito de herança -, mas a regularização de relações familiares, a valorização do afeto do casal, revelando-se importante fator de prevenção aos conflitos sociais. 

A defensora pública Izabella Nogueira, gestora do evento: “Constituir família é um direito de todas e todos”

Gestora do Casamento Comunitário de Ipatinga, em seu pronunciamento a defensora pública Izabella Nogueira falou sobre a mobilização, destacou a iniciativa da Defensoria Pública e a importância do evento para a sociedade.

“O Casamento Comunitário tira a gente daquele ambiente jurídico, processual e mostra para a comunidade que a Defensoria Pública não está só preocupada em resolver conflitos, ela quer que os suas assistidas e assistidos tenham os mesmos direitos que todo mundo da população tem. E casar, ter um projeto de vida, constituir família é um direito de todas e todos. E a Defensoria Pública tem isso como uma missão: dar acesso aos direitos de todas e todos para todo mundo”, enfatizou Izabella Nogueira.

Emocionados pela participaçãono evento, o casal Taís Rodrigues e Crislei Júnio definiram, em poucas palavras, o significado do momento. “Participar desse Casamento Comunitário é uma grande vitória para nós. Compramos as alianças em maio de 2020. Depois de tanto tempo de espera e tantos desafios vividos, aqui estamos: vencemos uma pandemia para poder casar. Uma grande alegria e muito gratidão à Defensoria Pública por essa oportunidade, já que, sem ela, nosso casamento não seria possível”, avaliou Taís.

Taís e Crislei: “Uma grande vitória para nós”

Onde tudo começou

Há exatos treze anos, em 2009, a Defensoria Pública de Minas Gerais dava início a um dos mais importantes eventos promovidos pela Instituição: o Casamento Comunitário! Celebrações matrimoniais cuja ideia de proteção jurídica e garantia dos direitos civis da família que tiveram suas primeiras edições nos municípios de Governador Valadares e Ipatinga, nos Vales do Rio Doce e do Aço. Dois grandes eventos de celebração da cidadania que, juntos, reuniram, à época, 100 casais. Era o começo de um importante ato solene de vínculo conjugal entre duas pessoas.

Passada quase uma década e meia desde os primeiros eventos, lá estavam defensoras e defensores públicos, autoridades locais, parceiros voluntários, familiares e amigos próximos, agora em 2022, novamente em Ipatinga, testemunhando a união matrimonial de 30 novos casais em mais uma edição do tradicional Casamento Comunitário.

Desde as primeiras cerimônias, a Defensoria Pública de Minas Gerais já oficializou a união de mais de 8 mil pessoas por meio dos Casamentos Comunitários realizados em Belo Horizonte e nas unidades no interior do Estado.  

Apoio de parceiros

Porta de acesso à Justiça dos cidadãos carentes, a Defensoria Pública, em razão de restrições orçamentárias, busca o apoio de empresas e instituições para a realização do Casamento Comunitário. E para viabilizar as ações desenvolvidas, empresas, profissionais liberais, voluntárias e voluntários que, procurados, não mediram esforços para que o Casamento Comunitário ocorresse em Ipatinga. 

São eles e elas: Instituto Usiminas, Bistrô Du Lú – Cozinha e Afeto, James Festas e Ateliê, Aline Rinaldi – Maquiagem, Estética e Micropigmentação, Sociedade Auxiliadoras Femininas da IPB – SAF, Love To Care – SPA, Paradise Garden – Event Space, Feito com Amor Decorações, TOM – Escola de Música Tenente Oswaldo Machado, Ateliê – Alline Carvalhaes, Dominante For Men, Carlos Souto;  Francisco Neto; Matheus Matarazzo, Claudinha Silva Maciel, Mônica Maria Gomes Costa, Dayane Gomes Santos Miranda, Salão Studios Monthielly. Dayane Gomes Santos Miranda – Maquiadora, Claudeny Maria Silva Maciel – Maquiadora, Fortune, Amor & Arte – KM, San Diego – SUITES – Ipatinga, Adelaide – Festas e Buffet, Aline Palhares – Fotografias, Gil Minogue, Pollyane Salgado, Nayara Nantes – Studio de beleza, Centro Cultural Municipal de Ipatinga, Prefeitura Municipal de Ipatinga, Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Ipatinga e a Associação das Defensoras e dos Defensores Públicos de Minas Gerais – ADEP-MG.

Ao final, os noivos receberam brindes doados por parceiros

Sorteio de brindes  

Concluída a cerimônia comunitária e realizada a entrega das certidões de casamento, os noivos ainda foram convidados a participar de um sorteio. Doados por alguns dos parceiros, dentre os brindes estavam uma diária no Hotel San Diego, uma massagem relaxante no SPA Love to Care, um jogo de suplat artesanal da AMOR & ARTE – KM, uma cesta com diversos itens oferecida pela Sociedade Auxiliadora Feminina – SAF, um jantar romântico doado pelo tradicional Bistrô do Lu e um eletrodoméstico oferecido para sorteio pela OAB – subseção Ipatinga. Na saída do teatro todos os participantes receberam o tradicional “bem casado”, símbolo da união de duas metades que se completam.

Também estiveram presentes na cerimônia as defensoras públicas em atuação em Ipatinga, Thais Corrêa, Lorena Nepomuceno, Edileuza Moraes, Ana Elisados Santos e Luiza de Sousa da Silva.

Jacques Leal – Jornalista/DPMG      

Compartilhar com:
Tags:

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS